• Virginia Langhammer

Expressions used in Rio de Janeiro - Brazil




*Read translation into English at the end :)


Transcription of the video:


BATE-PAPO COM A PROFESSORA GLEICE

Parte 1


Oi pessoal! Aqui é a Virginia.


Você gostaria de aprender mais sobre o sotaque do Rio de Janeiro e expressões usadas no Rio de Janeiro? Continue assistindo.


Hoje, eu convidei uma outra professora de português para conversar comigo sobre sotaques e expressões usadas no Rio de Janeiro. Nós tivemos uma longa conversa pelo Zoom, e eu gravei essa conversa para compartilhar com vocês.


Como a nossa conversa foi um pouco longa, eu dividi o vídeo em duas partes. Você vai assistir a primeira parte hoje e a segunda parte vai estar disponível na próxima semana. Espero que você goste!


Virginia: Oi pessoal, tudo bem? Hoje, eu tenho uma convidada muito especial, que é a professora Gleice, que trabalha comigo na Speaking Brazilian School. Eu convidei a professora Gleice pra bater papo comigo sobre expressões do Rio de Janeiro.


A Gleice é do Rio de Janeiro, e ela me mandou uma lista de expressões muito legais. Nós vamos falar sobre isso hoje, mas antes eu gostaria de começar falando sobre o Rio de Janeiro. Eu não sei se vocês sabem, mas no Brasil nós temos o estado do Rio de Janeiro, e a cidade do Rio de Janeiro, que é a capital do estado do rio de Janeiro. De onde você é, Gleice, você é da capital ou do estado?


Gleice: Eu sou do estado do Rio de Janeiro, uma cidade nas montanhas, na verdade, onde não temos praia, que se chama Nova Friburgo. Fica mais ou menos umas três horas de carro da cidade do Rio de Janeiro.

Subindo as montanhas, uma cidade pequena. Então, eu sou do estado do Rio.


Virginia: Nós temos nomes específicos para nos referir a quem nasce na cidade do Rio de Janeiro e no estado do Rio de Janeiro. Como se chama a pessoa que nasce na cidade e a pessoa que nasce no estado?


Gleice: Então, o que a gente geralmente ouve é que são os cariocas, cariocas são do Rio de Janeiro, e são. Cariocas são aqueles que nascem na cidade do Rio de Janeiro. Muitas vezes a gente chama de “carioca da gema”, que é aquele carioca que nasceu na cidade do Rio, na capital. Então, eu não sou carioca, eu sou fluminense. Todo mundo que nasce em qualquer outra cidade do estado, nós somos chamados de fluminenses.


Virginia: Muito bom, muito bom. Eu gostaria da falar um pouquinho também sobre a pronúncia. Os meus alunos sempre me perguntam sobre a pronúncia, sobre o sotaque, e o sotaque do Rio de Janeiro é bem característico daquela região. Me fala um pouquinho sobre o sotaque do Rio de Janeiro.

O sotaque da capital é muito diferente do sotaque das outras cidades do estado do Rio de Janeiro?


Gleice: Tem um pouquinho de diferença, sim, mas eu acho que o que é mais marcante no nosso sotaque é o som do S, no final das sílabas. A gente não fala MAS, a gente fala MAISH, a gente fala LETRASH. O plural, nosso plural, é sempre muito chiado, então o som de S sempre ele vai ter esse som de… como se fosse um SH, quase um SH no inglês, que é MAISH, MENOSH. Então, a gente tem muito isso, isso vai ser tanto na capital como em qualquer outro lugar no Rio de Janeiro, sempre vai ser a característica mais marcante, eu acho, do carioca, e do fluminense. E a outra é o nosso som do R, que ele um R… não é um R muito forte, ele só… por exemplo, “porta”.


Virginia: Não é “poRta”, é “porta”.


Gleice: É, você não força muito, então, “for”. Ele parece muito com o som do H em inglês. Acho que esta é uma diferença muito marcante.


Virginia: Marcante.


Gleice: Marcante.


Virginia: Muito bom. Vamos então começar a falar sobre expressões. Eu tenho uma lista de expressões que você me mandou.


Eu já conhecia essas expressões porque eu vou, quando eu morava em São Paulo, eu ia com muita frequência ao Rio de Janeiro, então, eu estou familiarizada com essas expressões. Acho que algumas nós usamos em São Paulo também, mas outras, não. Acho que são mais mesmo do Rio de Janeiro. Então, eu gostaria que você explicasse pra gente como usar essas expressões. A primeira é “maneiro”. “Maneiro”. Como você usa essa expressão?


Gleice: Eu acho que “maneiro” é uma das palavras mais usadas no Rio, pra qualquer coisa que seja legal. Então, se é uma coisa legal, ou interessante, a gente fala “nossa, maneiro”. “Você viu aquele jogo? Minha mãe me deu um jogo novo, muito maneiro”. Ou uma roupa muito “maneira”. Então, uma coisa legal.

Pode ser… uma pessoa pode ser muito “maneira”. “Nossa, Virginia é muito maneira”, porque você é uma pessoa legal.


Virginia: Muito bom. E você colocou como similar à expressão “irado”.

Gleice: Sim. “Irado” é uma palavra interessante, porque a gente tem a ideia de “ira”, de “raiva”, mas pro carioca não tem nada a ver com isso, pro carioca você vai falar “irado” como uma coisa que é extremamente legal.


Então, por exemplo, muita gente com carro, se você gosta muito de carro, “nossa, troquei as rodas do carro, ficou irado”. Então, ficou muito, extremamente legal. Então, eu acho que “irado”… o show, a banda, o show da banda foi “irado”. Então, foi muito legal.


Virginia: Geralmente falamos assim: “iraaado”, dá uma esticada no A.


Gleice: Tem um pouquinho da entonação, assim, “nossa, foi irado, a festa foi irada”.

Virginia: Essa palavra a gente usa muito em São Paulo também, talvez tenhamos pegado do Rio de Janeiro. Muito bom. Próxima palavra, expressão, é “parada”, tipo, “essa parada”, “aquela parada”. O que isso significa?


Gleice: Eu acho que essa também, essa demonstra que você é do Rio de Janeiro. “Parada” é coisa, qualquer coisa. Então, se eu não lembrar o nome dessa coisa, eu vou falar “essa parada”.


“Virginia, me dá essa parada, essa parada de escrever”, estou me referindo a caneta, mas eu esqueci o nome, ou não quero falar, e eu vou dizer “parada”. Então, “nossa, essa parada é muito legal”, ou “que parada?”, “essa parada que você comprou”. Então, às vezes parece que ninguém está se entendendo, mas a gente se entende dizendo “parada”.


Virginia: Essa coisa.


Gleice: Podemos usar em qualquer contexto.


Virginia: Adorei. Muito bom! Próximo, número 3, “estar bolado”, ou “estar bolada”, ou “ficar bolado”, ou “ficar bolada”.


Gleice: Não tem nada a ver com bola. É quando você fica preocupado com alguma coisa, ou você está chateado com alguma coisa, tem esse sentido de preocupação.


Então, por exemplo: “nossa, conversei com minha mãe hoje, ela me falou umas coisas, estou meio bolada”. Então, eu estou preocupada, essa conversa me deixou preocupada, eu fiquei meio “bolada” depois da ligação, com a minha mãe, né? Então, sempre que você tiver alguma… algo não está bom, então você está “bolado” ou está “bolada”.


Virginia: No sentido de estar preocupado.


Gleice: Preocupado.


Virginia: Engraçado.


Gleice: Ou chateado. Ou chateado também. Por exemplo, “ah, tirei uma nota ruim”, ou “no trabalho, meu chefe, tive um fim de ciclo um pouco ruim no trabalho, estou meio bolado, vou ficar em casa hoje”.


Virginia: Ah, entendi.


Gleice: Você está meio pra baixo, sabe, você não está bem.


Virginia: Número 4, “mermão” ou também você pode dizer “brother”, que é em inglês.


Gleice: Mas tem que dizer “brother”, né?


Virginia: “Brother”.


Gleice: Porque tem o R do Rio de Janeiro, então, é meu “brother”, que é meu amigo. Não que a pessoa seja seu amigo, é quando você se refere a uma pessoa que você vai chamar na rua, “Oh, mermão”, “meu irmão”, né?


Virginia: Juntou.


Gleice: Juntou, e por causa do nosso R fica “oh, mermão”. E a gente vai chamar “mermão” ou “brother”, “meu brother”.


Por exemplo, se você tiver… uma cena muito comum no Rio de Janeiro é você estacionar seu carro, e aí vem alguém para vigiar o seu carro, ou limpar o seu carro, e a gente sempre fala: “oh, mermão, cuida aqui do carro”. “Beleza, brother, fico de olho”.


Então, essa é muito informal, muito, extremamente informal, mas é sempre que você se refere a uma outra pessoa, é quase em inglês quando você fala “hey guys”, “dude”.


Virginia: “Dude”, é. É muito interessante. E se usa… eu ouço muito no Rio de Janeiro quando eu vou pra lá, “mermão”, “brother”, todo lado.


Gleice: É beleza, mermão. É sempre, sempre. E é “mermão”, vira uma palavra.


Virginia: Você está na praia, vem um vendedor te oferecer água, “eh, mermão, quer alguma coisa?” É sempre “mermão”. É bom, todo mundo é irmão no Rio de Janeiro.

Gleice: É, o carioca, principalmente, ainda mais do que só as pessoas do estado, eles são… é como se você se conhecesse, mesmo não se conhecendo.

Parece que eu te vejo e a gente já fez uma amizade, assim, parece que a gente se conhece há muito tempo.


Virginia: Tem muita informalidade, é natural pro carioca.


Gleice: Muita.


Virginia: Então, uma das coisas legais do Rio de Janeiro, eu acho, é essa vibração, essa vibe legal que tem das pessoas.


Gleice: Verdade.


Muito bem, pessoal. Espero que você tenha gostado deste bate-papo. Na próxima semana, eu vou publicar a segunda parte deste vídeo. Então, fique ligado!


Agora é hora do dever de casa! Eu tenho duas tarefas para você. Primeiro, eu gostaria de saber se você gosta do sotaque carioca. Qual é o seu sotaque brasileiro favorito? Segundo, escreva um comentário abaixo usando uma das expressões que você aprendeu neste vídeo.


Se você gostou deste vídeo, lembre-se de dar um like e de se inscrever em meu canal. Todas as semanas, eu posto um novo vídeo, com dicas de gramática, expressões e pronúncia do português brasileiro.


Até a próxima! Tchau, tchau!

BATE-PAPO WITH TEACHER GLEICE

Part 1


Hi everyone! Virginia here.


Would you like to learn more about the accent from Rio de Janeiro and expressions used in Rio de Janeiro? Keep watching.


Today, I invited another Portuguese teacher to talk with me about accents and expressions used in Rio de Janeiro. We had a long conversation via Zoom, and I recorded the conversation to share with you.


As our conversation was a bit long, I divided the video into two parts. You’ll watch the first part today and the second part will be available next week. I hope you like it!


Virginia: Hi everyone, how are you doing? Today, I have a very special guest, teacher Gleice, who works with me at Speaking Brazilian School. I invited teacher Gleice to talk with me about expressions from Rio de Janeiro.


Gleice is from Rio de Janeiro, and she sent me a list of very cool expressions. We are going to talk about that today, but first, I’d like to start talking about Rio de Janeiro. I don't know if you know, but in Brazil we have the state of Rio de Janeiro, and the city of Rio de Janeiro, which is the capital of the state of Rio de Janeiro.


Where are you from, Gleice, are you from the capital or the state?


Gleice: I'm from the state of Rio de Janeiro, a city in the mountains, actually, where we don't have a beach, called Nova Friburgo. It's about a three-hour drive from the city of Rio de Janeiro. Going up the mountains, a small town. So, I'm from the state of Rio.


Virginia: We have specific names to refer to those who are born in the city of Rio de Janeiro and in the state of Rio de Janeiro. What do we call the person who is born in the city and the person who is born in the state?


Gleice: So, what we usually hear is that they are “cariocas”, “cariocas” are from Rio de Janeiro, and they are. “Cariocas” are those who are born in the city of Rio de Janeiro. We often call them “carioca da gema”, which is that carioca who was born in the city of Rio, in the capital. So, I'm not carioca, I'm Fluminense. Everyone who is born in any other city in the state, we are called Fluminenses.


Virginia: Great, great. I also would like to talk a little bit about pronunciation. My students always ask me about the pronunciation, about the accent, and the accent of Rio de Janeiro is very characteristic of that region.


Tell me a little about the accent of Rio de Janeiro. Is the accent of the capital too different from the accent of other cities in the state of Rio de Janeiro?


Gleice: There is a little difference, yes, but I think what is most striking in our accent is the sound of the S, at the end of syllables. We don't say MAS (but), we say MAISH, we say LETRASH (letters). The plural, our plural, has always an SH sound, so the S sound will always have this sound of ... as if it were SH, almost like the SH in English, which is MAISH (more), MENOSH (less). So, we have this a lot, it is like this in the capital and also anywhere else in Rio de Janeiro, it will always be the most striking characteristic, I think, of the carioca, and the Fluminense. And the other is our R sound, that it’s an R… it’s not a very strong R, it just… for example, “PORTA” (door).


Virginia: It is not “poRta”, it’s “porta”.


Gleice: Yeah, you don't push too hard, so "for". It sounds a lot like the sound of the H in English. I think this is a very prominent difference.


Virginia: Prominent.

Gleice: Prominent.


Virginia: Great. So, let's start talking about expressions. I have a list of expressions that you sent me.


I already knew these expressions because I go, when I lived in São Paulo, I used to go to Rio de Janeiro very often, so I am familiar with these expressions. I think that some of them we use in São Paulo as well, but others we don’t. I think they are more from Rio de Janeiro. So, I’d like you to explain to us how to use these expressions. The first one is “maneiro”. "Maneiro". How do you use that expression?


Gleice: I think “maneiro” is one of the most used words in Rio, for anything that is cool. So, if it’s a cool or interesting thing, we say “wow, cool”. "Did you see that game? My mom gave me a new game, very cool". Or a very cool outfit. So, a nice thing.


It can be… a person can be very “maneira”. “Yeah, Virginia is very cool,” because you are a nice person.


Virginia: Great. And you put it as similar to the expression "irado".


Gleice: Yes. "Irado" is an interesting word, because we have the idea of "ire", "anger", but for the carioca it has nothing to do with that, for the carioca you will say "irado" as something that is extremely cool. So, for example, a lot of people with a car, if you really like cars, “wow, I changed the wheels of the car, it’s awesome”. So, it was really, really cool. So, I think "irado" ... the show, the band, the band's show was "irado". So, it was really cool.


Virginia: We usually say: “iraaado”, we stretch the A.


Gleice: There is a little bit of intonation, like, "wow, it was irado, the party was irada".


Virginia: We use that word a lot in São Paulo too, maybe we took it from Rio de Janeiro. Very good. Next word, expression, is "parada", like, "essa parada", "aquela parada". What does it mean?


Gleice: I think this one too, this one shows that you are from Rio de Janeiro. "Parada" is thing, anything.


So, if I don't remember the name of this thing, I'm going to say “this parada”.


"Virginia, give me that thing, that thing for writing", I’m referring to the pen, but I forgot the name, or I don't want to say it, and I'm going to say "parada". So, "wow, this thing is really cool", or "what parada?", "that parada you bought". So, sometimes it seems that nobody is understanding each other, but we do understand each other by saying "parada".


Virginia: That thing.


Gleice: We can use it in any context.


Virginia: I love it. Very good. Next, number 3, "to be bolado", or "to be bolada", or "to get bolado", or "to get bolada".


Gleice: It has nothing to do with a ball. It’s when you are worried about something, or you are upset about something, it has this sense of concern. So, for example: “so, I talked to my mom today, she told me a few things, I'm kind of worried”.


So, I am worried, this conversation made me worried, I was a little “bolada” after the call, with my mother, right? So, whenever you have any ... something is not good, so you are "bolado" or "bolada".


Virginia: In the sense of being concerned.

Gleice: Concerned.


Virginia: Funny.


Gleice: Or upset. Or upset too. For example, "oh, I got a bad grade", or "at work, my boss, I had an end of the cycle that was little bad at work, I'm a bit upset, I'm going to stay at home today".


Virgina: Ah, I see.


Gleice: You're kind of down, you know, you're not well.


Virginia: Number 4, “mermão” or you can also say “brother”, which is in English.


Gleice: But you have to say "brother", right?


Virginia: “Brother”.


Gleice: Because there is the R from Rio de Janeiro, so, it’s my “brother”, which means my friend. Not that the person is really your friend, it’s when you refer to a person that you are going to call on the street, “Oh, mermão”, “my bother”, right?


Virginia: Put together.


Gleice: We put it together, and because of our R it’s “oh, mermão”. And we will call him “mermão” or “brother”, “my brother”.


For example, if you have… a very common scene in Rio de Janeiro is when you park your car, and then someone comes to watch your car, or clean your car, and we always say: “oh, mermão, take care of car". "Okay, brother, I’ll keep an eye out."


So, this is very informal, very, extremely informal, but it’s always when you refer to someone else, it’s almost as in English when you say “hey guys”, “dude”.


Virginia: "Dude", yes. It’s very interesting. And it’s used… I hear it a lot in Rio de Janeiro when I go there, “mermão”, “brother”, everywhere.


Gleice: It's OK, mermão. It’s always, always. And it's “mermão”, it becomes one word.


Virginia: You are at the beach, a vendor comes to offer you water, "eh, mermão, do you want anything?" It is always "mermão". It's good, everyone is a sibling in Rio de Janeiro.


Gleice: Yeah, the carioca, especially, even more than the people from the state, they are ... it's like you know each other, even if you don't.


It seems that I see you and we have already made a friendship, so it seems that we have known each other for a long time.


Virginia: There is a lot of informality, it’s natural for the carioca.


Gleice: A lot.


Virginia: So, one of the cool things about Rio de Janeiro, I think, is this vibe, this cool vibe that people have.

Gleice: True.


That’s it, guys. I hope you enjoyed this conversation. Next week, I’ll publish the second part of this video. So, stay tuned!


Now, it's homework time! I have two tasks for you. First, I’d like to know if you like the carioca accent. What is your favorite Brazilian accent? Second, write a comment below using one of the expressions you learned in this video.


If you liked this video, remember to give it a thumbs up and subscribe to my channel. Every week, I post a new video, with tips on grammar, expressions and pronunciation of Brazilian Portuguese.


See you next time! Bye-bye!

Want to learn Portuguese?

 

Get free lessons delivered right to your inbox: